Ministério da Justiça
02/21/2018
PROVAS DISCURSIVAS: UMA DÉCADA DE MUDANÇAS
02/21/2018

Dicas STF

O edital do STF diz:

9 DA PROVA DISCURSIVA
9.1 A prova discursiva valerá 30,00 pontos e consistirá de:
a) para as especialidades das áreas Judiciária e Administrativa do cargo de Analista Judiciário, texto dissertativo, de até 30 linhas, abordando temas relacionados aos conhecimentos específicos do respectivo cargo/área/especialidade, constantes do subitem 13.2.1.2 deste edital;
b) para as especialidades/ramos da área Apoio Especializado do cargo de Analista Judiciário, estudo de caso, de até 30 linhas, abordando temas relacionados aos conhecimentos específicos do respectivo cargo/área/especialidade/ramo, constantes do subitem 13.2.1.2 deste edital;

Por outras palavras, o edital está com um recorte mais técnico, o que se revela no item 13.2.1.2, em que se encontra todo o conteúdo específico de cada cargo. Quando a Banca adota esse tipo de edital, a probabilidade maior é ter uma prova que praticamente faz um decalque de algum item do edital, para cada área, por exemplo:

Num texto de 30 linhas, discorra sobre:

> Função do órgão de recursos humanos;
> Atribuições básicas e objetivos;
> Políticas e sistemas de informações gerenciais

Num texto de 30 linhas, discorra sobre:

> Arquitetura de aplicações para ambiente web;
> Arquitetura em camadas;
> Arquitetura de microsserviços;
> Arquiteturas de integração.

Num texto de 30 linhas, discorra sobre:

> Classificação de materiais;
> Atributos para classificação de materiais;
> Tipos de classificação;
> Metodologia de cálculo da curva ABC.

Num texto de 30 linhas, discorra sobre os seguintes conceitos:

>Provimento;
> vacância;
> remoção;
> redistribuição;
> substituição.

Nesse tipo de prova, o candidato é instado a demonstrar que tem domínio sobre determinado conteúdo do edital, e a prova está no campo dos conceitos, da descrição. Não se confunde com o texto de natureza argumentativa, mais comum nos tema da atualidade.

Por isso, as provas de conteúdo específico requerem bastante objetividade e linguagem direta, sem dobrados, nem refolhos. A melhor forma de preparar é fazendo o fichamento dos principais tópicos do edital.

É claro que, como a Banca é o CESPE, sempre existe a possibilidade de estudos de casos, mesmo com editais com provas discursivas voltadas para conteúdo específico. Se isso ocorrer, a prova fica bem mais difícil, porque requer o amadurecimento do candidato para saber como aplicar os conhecimentos à resolução de determinado problema hipotético ou real.